Projeto Luminotécnico: Guia para Eficiência e Durabilidade

Blog

Existem muitas maneiras de se elaborar um projeto de iluminação corporativa. Com o passar dos anos, tivemos o aumento do valor da energia elétrica, o alto custo da mão de obra, e o aumento da competitividade entre as corporações. Resultando no esforço dos profissionais do ramo, a se aprofundarem no estudo da eficiência energética e durabilidade do sistema de iluminação das empresas. A velocidade da evolução tecnológica acaba sendo uma barreira para esses profissionais. Nós da Luter Led temos o dever de se manter atualizados e passar informações constantemente aos seus clientes. Para que eles possam elaborar os projetos mais avançados no mercado atualmente.

A implementação de um projeto de iluminação de alta performance dura em torno de 60 dias, mas seus benefícios podem ser percebidos desde o princípio da instalação. Problemas típicos, como queima precoce de lâmpadas e consumo elevado de energia elétrica, são superados com um bom planejamento e a adoção de tecnologias mais eficientes, com destaque para os produtos LED.

Entretanto, as vantagens que mais têm chamado a atenção do mercado em serviços dessa categoria dizem respeito aos impactos positivos de um sistema de iluminação moderno no dia a dia do negócio e, principalmente, na produtividade dos colaboradores.

Mas o que realmente caracteriza um projeto luminotécnico de alta performance e quais aspectos devem ser considerados nesse tipo de investimento? Neste guia, trazemos todas as informações de que você precisa saber sobre o assunto: as características de um projeto, suas aplicações, as melhores tecnologias, os benefícios, os cuidados necessários e muito mais. Boa leitura!

O que caracteriza um projeto de iluminação corporativo?

De maneira geral, os projetos de iluminação corporativos são aqueles cujos planejamento, objetivos e tecnologias empregadas levam em conta as necessidades de um ambiente de trabalho. No entanto, sabemos que esses locais podem variar em muitos aspectos ― dimensões, funções, arquitetura, localização, entre outros ― e, por isso, cada empresa deve ser analisada de maneira particular.

Os principais benefícios desse investimento, porém, são os mesmos em diferentes projetos: redução de custos fixos e manutenções, em virtude da melhor distribuição e durabilidade das lâmpadas e luminárias LED, além do enorme ganho em eficiência, tendo em vista o uso de produtos com melhor desempenho e a instalação de recursos de monitoramento e automação.

Independentemente do empreendimento, um projeto de iluminação para empresas deve obedecer alguns pontos essenciais. Veja cada um deles a seguir!

Adequação às normas técnicas

A regulamentação é o primeiro aspecto que deve ser considerado em um projeto luminotécnico profissional, seja ele residencial, seja corporativo. No último caso, porém, existem normas adicionais que preveem o bem-estar de trabalhadores.

A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) regulamenta o assunto por meio da NBR ISO/CIE 8995-1/2013 na qual são tratados os parâmetros para uma boa luminosidade nas empresas. Há também, a NR 17 e a NHO 11, que tratam da ergonomia e da iluminação nos diferentes locais de trabalho.

De maneira geral, essas normas levam em conta:

  • luz natural;
  • distribuição da luminância;
  • aspectos da cor da luz e superfícies;
  • ofuscamento;
  • iluminância (quantidade em LUX e qualidade em IRC/RA);
  • direcionamento da luz;
  • manutenções a serem feitas;
  • cintilação.

Benefícios para o colaborador

Todos os fatores mencionados em normas regulamentadores estão relacionados à segurança e ao conforto visual nos ambientes de trabalho. Dessa forma, podemos dizer que os projetos de iluminação corporativo devem ser focados na promoção da saúde, da disposição e da produtividade dos colaboradores.

Nesse sentido, a empresa responsável pelo projeto precisa estar ciente das operações e dos processos desenvolvidos em cada área do local, uma vez que existem configurações e arranjos de iluminação específicos para cada tipo de espaço e função realizada nele.

O número de pessoas que habitarão o ambiente nos horários de atividade também precisa ser considerado no planejamento, bem como as diretrizes de segurança relacionadas a esse fator.

Benefícios para a empresa

A otimização da iluminação no ambiente de trabalho tem o poder de melhorar a produtividade das equipes e o clima organizacional, o que por si só já representa um enorme ganho aos empreendimentos.

No entanto, devemos considerar ainda os benefícios técnicos de um projeto de iluminação corporativo, que, aliás, vão muito além da economia de energia elétrica.

Embora seja frequentemente negligenciada pelos gestores, a manutenção da iluminação de uma empresa exige uma série de responsabilidades. Fornecedores ruins, produtos de baixa qualidade e instalações inadequadas, por exemplo, podem comprometer gravemente o consumo, a eficácia e a durabilidade dos dispositivos.

Além disso, a má disposição das lâmpadas e o baixo aproveitamento da luz natural disponível no local também podem afetar negativamente a eficiência do projeto. Por essas e várias outras questões, é fundamental investir em um projeto luminotécnico de alta performance.

O que é um projeto luminotécnico de alta performance?

De maneira sucinta, podemos entender a iluminação corporativa de alta performance como um projeto luminotécnico focado na máxima economia de energia elétrica e no melhor aproveitamento possível da luz, seja ela artificial, seja natural.

Embora a simples substituição de lâmpadas tradicionais por modelos de LED reduza o consumo mensal de energia, essa prática é insuficiente, principalmente quando pensamos na iluminação de indústrias ou escritórios.

O mercado disponibiliza uma variedade enorme de produtos, e a escolha deles deve estar de acordo com as necessidades específicas do local. Ajustes finos na instalação e o arranjo adequado das luzes podem fazer toda a diferença, assim como a implementação de sistemas inteligentes capazes de regular a luz automaticamente.

Englobando todos esses aspectos, dos mais básicos aos mais avançados, chegamos às características que descrevem um verdadeiro projeto de iluminação de alta performance. Confira todas elas a seguir!

Aproveitamento da luz natural

A sustentabilidade é uma das principais pautas do mercado, mas seus benefícios transcendem as tendências. Essa proposta prevê uma relação “ganha ganha”, na qual a sociedade é beneficiada com a redução do desperdício de energia e seus usuários também, uma vez que essa otimização impacta diretamente as contas no fim do mês.

Isso significa que o ponto de partida de um projeto de iluminação não são as lâmpadas e os demais dispositivos que serão instalados no local. Na verdade, ele deve ser iniciado com a análise das características do ambiente em que pretendemos providenciar essas melhorias.

Ambientes muito fechados cuja maior parte do tempo a única luz disponível é a artificial podem afetar a disposição dos trabalhadores, pois muitos processos metabólicos do organismo humano, tal como a produção de vitamina D, dependem da radiação solar.

Dessa forma, janelas amplas, tetos de vidro, claraboias, jardins de inverno e áreas externas, por exemplo, devem ser aproveitadas ao máximo, de modo a se estabelecer um balanço saudável entre a luz natural e as luzes artificiais.

Distribuição eficiente da iluminação

Aspectos arquitetônicos, como dimensão dos cômodos, pé-direito e aberturas em geral, devem ser consideradas ao planejar a disposição de lâmpadas e luminárias, bem como cortinas, persianas, espelhos e itens da decoração.

Os esquemas mais comuns trabalham com luz:

  • difusa: o foco é distribuído para o ambiente como um todo;
  • direta: a luz é emitida diretamente para o local a ser iluminado;
  • indireta: o fluxo é dirigido para um ponto de reflexão, a fim de reduzir a intensidade da luz.

A distribuição eficiente da iluminação reduz o uso das lâmpadas elétricas e também evita o foco excessivo em determinadas áreas do local, o que poderia acarretar estresse visual. Em escritórios, por exemplo, não é recomendável instalar luzes na altura dos olhos, pois, como a maior parte da luminosidade vem dos computadores, isso poderia gerar ofuscamento e reflexo nas telas.

Já em salas de reuniões, uma luz geral difusa é o suficiente para que todo o local seja iluminado sem o risco do aparecimento de sombras. A recomendação é lançar mão de vários pontos de iluminação com acendimento independente, especialmente se esses locais também forem usados para projeções em telas ou videoconferências.

Em galpões industriais, por outro lado, tudo dependerá da atividade executada. Um esquema robusto de luminárias LED pode ser o suficiente para atender uma área ampla. No entanto, quando os colaboradores desenvolvem trabalhos manuais, alguma luz direcionada pode ser necessária.

Adoção de sistemas de controle inteligentes

Os projetos Smart Lighting (Iluminação Inteligente) são a última novidade em projetos luminotécnicos. Sua proposta é garantir o máximo de eficiência em iluminação por meio de dispositivos de monitoramento e automação.

Sensores de presença, temporizados e dimerizadores são usados em conjunto para equilibrar automaticamente a intensidade das lâmpadas e das luminárias de acordo com a atividade no local e a disponibilidade de luz natural.

Além de controlarem a iluminação com uma precisão cirúrgica, esses sistemas podem, inclusive, ser gerenciados via internet e configurados para produzir diferentes esquemas de iluminação de acordo com o horário, o dia e a rotina da empresa.

A manutenção necessária também é mínima, tendo em vista o ganho significativo em eficiência. Praticamente não há necessidade de acompanhamento humano e as possibilidades de automação envolvidas são enormes.

Escolha de lâmpadas e luminárias adequadas

A escolha correta de lâmpadas, luminárias e demais dispositivos é também um fator extremamente relevante em um projeto de iluminação de alta performance. Tendo em mente que a iluminação deve ser harmoniosa, confortável e coerente com sua função, a escolha dos produtos deve levar em conta suas indicações, procedência e tecnologia.

Ambientes corporativos, em geral, costumam ser equipados com lâmpadas brancas, neutras e frias, uma vez que esses padrões tendem a estimular a mente humana e manter o corpo em alerta. Entretanto, existem cômodos que se ajustam melhor com cores mais quentes, como salas de recepção ou áreas de socialização e lazer. Sem contar que é muito interessante trabalhar diferentes cenários dentro do imóvel.

No entanto, vale destacar que quando as pessoas são intensa e continuamente expostas a elementos estimulantes, o efeito pode ser o oposto ao desejado. Isso porque, nesse caso, as cores mais quentes podem gerar nelas sensações de estresse e fadiga.

Em relação à compra dos produtos, é fundamental contar com fornecedores e marcas bem recomendados. O mercado é muito amplo e os fabricantes apostam em diferentes estratégias de comercialização. A máxima “o barato sai caro” é perfeitamente válida nessa situação e, por isso, um projeto que realmente vise alta performance deve priorar mercadorias com longa durabilidade.

Já no que diz respeito à tecnologia, a iluminação LED é uma escolha unânime entre os profissionais. Além da incomparável variedade de soluções disponíveis atualmente, seus benefícios em termos de custo-benefício, qualidade, economia e sustentabilidade são imensamente superiores a qualquer outra opção.

Quais são as principais vantagens da tecnologia LED?

Hoje, não há como pensar em um projeto de iluminação de alta performance sem mencionar os produtos LED. As lâmpadas dessa categoria não se tornaram as queridinhas do mercado por acaso. As vantagens que apresentam em relação às atuais fluorescentes são indiscutíveis, logo, alguns desses benefícios precisam ser destacados. Veja, abaixo, quais são eles!

Alto IRC (Índice de Reprodução de Cores)

O IRC é um indicador que aponta a fidelidade das cores reproduzidas pelos elementos presentes em um ambiente sob uma fonte de luz artificial. Em uma escala de 0 a 100, na qual o 100 é o equivalente à luz natural, dizemos que quanto maior o IRC, mais fiel é a cor das superfícies, dos objetos e até mesmo das pessoas quando submetidos a uma iluminação gerada por uma lâmpada ou luminária, por exemplo.

Os profissionais e órgãos competentes determinam que um IRC de boa qualidade deve ser igual ou maior que 80 — a partir de 90 são considerados de excelente qualidade luminosa. As lâmpadas de LED, diferentemente das demais, devem apresentar um índice de reprodução de cores de, no mínimo, 80, de acordo com determinações da indústria.

Longa vida útil

Um dos principais benefícios das lâmpadas LED é a longa durabilidade. Sua vida útil chega a 50 mil horas — logo, duram 25 vezes mais que as antigas lâmpadas incandescentes e três vezes mais que as fluorescentes, com pouquíssimas alterações de brilho ao longo do tempo.

Baixo custo de manutenção

Com longa vida útil, as lâmpadas de LED oferecem um enorme intervalo entre as trocas e não costumam apresentar vícios ou falhas. Dessa forma, elas evitam prejuízos e representam uma grande economia com manutenção.

Não é à toa que essa tecnologia já é adotada em larga escala praticamente em todos os tipos de instalação, de pequenas residências a grandes áreas públicas.

Ampla indicação

Os produtos LED, em geral, operam em baixa tensão, o que viabiliza a instalação em locais variados com total segurança. A diversidade de opções de luminárias no mercado surpreende, mas é importante verificar as indicações do fabricante do produto.

Existem, por exemplo, modelos voltados para locais úmidos ou submersos, como saúnas e piscinas, bem como alternativas criadas para ambientes industriais que apresentam temperaturas extremas.

Não emitem raios infravermelhos e ultravioleta

As lâmpadas de LED apresentam baixa carga térmica. Ao tocar uma delas quando acesa, você perceberá que há um sutil aquecimento em sua superfície, porém, esse calor não é irradiado pelo fecho luminoso. Essa característica as torna uma solução elegante para a iluminação de construções históricas e áreas verdes, por exemplo.

Amiga do meio ambiente

A maior parte dos componentes utilizados na fabricação de lâmpadas de LED são recicláveis e nenhum deles é nocivo à saúde ou à natureza. Trata-se, portanto, de um produto inteiramente seguro e sustentável.

Entretanto, precisamos alertar que os produtos de LED não podem ser jogados no lixo comum. O descarte dessas lâmpadas exige os mesmos cuidados previstos para os demais tipos.

Redução de gastos com energia

O baixo consumo de energia é, certamente, o maior atrativo dessas lâmpadas. Diferentemente de outras tecnologias, o LED transforma a maior parte da corrente elétrica em luz, e não em calor como nos modelos tradicionais.

Que tipo de empreendimento um projeto de iluminação corporativo pode beneficiar?

Para qualquer espaço ou imóvel, há uma iluminação ideal. Projetos corporativos podem envolver algumas particularidades de acordo com as características e os objetivos de cada empresa, mas os ganhos finais são semelhantes.

Confira, a seguir, alguns tipos de empreendimentos que podem ser fortemente beneficiados por um projeto luminotécnico de alta performance!

Indústrias

Ambientes de trabalho industriais podem variar imensamente, mas, em geral, são caracterizados por grandes áreas abertas com pé direito proeminente. Uma boa instalação nesses locais visa, principalmente, garantir a melhor postura e visibilidade para os colaboradores, a fim de evitar erros e acidentes.

Nesse sentido, é fundamental que as indústrias sejam equipadas com dispositivos que apresentem IRC/RA de, no mínimo, 80. Em relação à intensidade, o ideal é que a iluminação ofereça entre 200 e 300 LUX em operações brutas e 500 a 1000 LUX em operações finas ou procedimentos de inspeção, de acordo com a tabela da Norma NHO 11.

Além disso, a luz natural também precisa ser aproveitada nesses ambientes. Ainda que a arquitetura do local não seja favorável, é possível trabalhar com soluções alternativas como espelhos ou telhas especiais. No entanto, pode ser do interesse do cliente realizar pequenas obras para obter mais ganhos nesse sentido quando os benefícios são evidentes o bastante.

Centros comerciais

Grandes lojas de departamento e shopping centers costumam trabalhar a iluminação com bastante rigor, tendo em vista que o conforto visual pode reduzir o estresse e fazer com que as pessoas passem mais tempo no local.

As vitrines, que devem ser destacadas para atrair a atenção dos clientes, podem ser muito beneficiadas por luzes quentes e com alto IRC. Mas é preciso tomar cuidado para que o item exposto não apresente materiais que reflitam essa luz e gerem algum desconforto.

Nas lojas e nos corredores, tal como em halls e recepções, a iluminação indireta com cores quentes é a melhor aposta para gerar uma sensação de conforto e aconchego. Entretanto, isso são apenas sugestões, pois existem diversos arranjos diferentes que podem ser empregados em espaços de atendimento ao público.

Comércio em geral

Estabelecimentos comerciais podem receber centenas de clientes todos os dias, além de empregarem diversos profissionais. Nesse caso, também precisamos priorizar uma iluminação eficiente que torne o ambiente confortável e dê destaque aos produtos. Entretanto, antes de tudo, é preciso entender a dinâmica de cada empreendimento.

Lojas de eletrônicos e artigos de tecnologia geralmente trabalham com luzes fortes e brancas, pois elas não só favorecem a atenção do consumidor para os itens ofertados, como também cria uma sensação de inovação ou futurismo.

Em lojas de grife, por outro lado, a iluminação é geralmente pensada no perfil do cliente ou na ocasião para a qual as peças principais são indicadas. Nesse caso, o objetivo é gerar sensações que o consumidor deseja ao vestir a roupa, o calçado ou qualquer outro produto ofertado.

Restaurantes e lanchonetes, porém, podem apostar em uma iluminação clara e direta focada nas mesas, para que as cores dos alimentos sejam valorizadas e ajudem a evidenciar o seu aspecto fresco. No entanto, mesclar esse efeito com uma iluminação quente, que contemple o restante do ambiente, pode tornar o local mais acolhedor e fazer com que os clientes se sintam mais à vontade.

Escritórios

Os escritórios são uma das principais referências da atualidade, seja em termos de arquitetura, seja em termos de iluminação moderna. Os antigos espaços fechados e divididos em cubículos estão sendo substituídos por áreas amplas e integradas.

O sucesso dos espaços de trabalho criativos do Vale do Silício, com destaque para os escritórios Google, ganhou força em todo o mundo, inclusive no Brasil. A proposta é tornar o dia a dia dos colaboradores menos desgastante e utilizar elementos de design para aumentar a interação entre as pessoas, estimulando, ao mesmo tempo, a produtividade.

É claro que reproduzir esses cenários não é viável nem do interesse de muitos gestores. Entretanto, vários dos seus benefícios podem ser alcançados apenas por ajustes na disposição dos móveis e na iluminação.

Do ponto de vista técnico, as luzes frias são obrigatórias nos locais de trabalho, mas é possível criar esquemas que combinem outros tipos de iluminação. A luz natural nesses projetos também merece destaque, sobretudo por reduzir o estresse visual causado pelo uso constante de computadores.

Como avaliar, planejar e implementar um projeto de iluminação corporativo?

Como dissemos, ao elaborar um projeto de iluminação, é fundamental avaliar o espaço que será atendido e suas funções para criar a melhor estratégia para o local. A recomendação é observar as características de cada espaço e também checar a infraestrutura elétrica já disponível, a fim de traçar um plano de instalação eficiente.

Esse trabalho precisa ser realizado por profissionais capacitados. Como você deve ter observado ao longo deste artigo, existem muitos parâmetros a serem analisados. Por esse motivo, é essencial contar com alguém que detenha o know-how necessário.

As melhores empresas do setor contam com um quadro de colaboradores formado por arquitetos, engenheiros eletricistas e técnicos em iluminação, os quais são habilitados para auxiliar o cliente ao longo de todo o processo, do planejamento à implementação.

Em geral, os gestores tendem a optar por contratos do tipo turn key, nos quais a organização responsável pelo projeto assume todas as etapas, incluindo a mão de obra e o fornecimento dos produtos. Dessa forma, é possível se livrar de encargos burocráticos e o desconforto de lidar com vários profissionais e empresas diferentes ao mesmo tempo.

Como escolher um parceiro confiável?

Está na hora de pensar em um parceiro para colocar a mão na massa e garantir que todas as vantagens de um projeto luminotécnico sejam sentidas em seu empreendimento. Existem muitas empresas e prestadores de serviço no mercado, mas a escolha deles merece bastante atenção.

Se você se interessou pelos diversos benefícios que um projeto de iluminação corporativo pode trazer para o seu negócio, provavelmente a última coisa que gostaria é de ter de lidar com problemas desencadeados por serviços de má qualidade. Para que tudo saia perfeito, é essencial escolher uma empresa de confiança.

Sendo assim, se o seu objetivo é levar o que há de mais moderno em iluminação para o seu negócio, sempre opte por organizações reconhecidas no mercado, que disponibilizem soluções de alta qualidade em serviços e produtos.

A Luter LED é referência nesse setor e sua lâmpada de LED é considerada a melhor do Brasil em durabilidade pela Eletrobras/Procel. Com um padrão de qualidade excepcional atestado por certificações que seguem os mais rigorosos testes internacionais, o objetivo da empresa é entregar um projeto de iluminação inteiramente alinhado às expectativas do cliente ― e com cinco anos de garantia.

Dê o primeiro passo agora! Entre em contato conosco e confira as soluções exclusivas que a Luter LED tem a oferecer para sua empresa!

We take processes apart, rethink, rebuild, and deliver them back working smarter than ever before.